Mais ou menos uma vez por semana

Olá a todos!

Hoje este post é um pouco mais intimista…                                           🙂                        Mais ou menos uma vez por semana, quem orienta as actividades do Alexandre não sou eu nem o pai, mas sim a “mana Celina” (este ano, desde Outubro, pois o ano passado este dia estava atribuído ao seu amigo “Bato” (namorado da mana Catarina). Com a mana Celina a tónica são as “aventuras” e pronto, tudo o que faz com ela é “uma aventura“, inclusivé, por exemplo, ir ao “Pavilhão do Conhecimento” ou simplesmente “inventar uma papinha”.

Foi uma solução que arranjámos e com a qual todos concordámos para conseguirmos coordenar trabalhos, estudos, actividades e acompanhamento do Alexandre em Ensino Doméstico, sem “stresses”!

Assim, nesse dia da semana, eu tenho umas horas da tarde (mais ou menos das 15h às 19h) e o Pedro um dia, para “o que nos aprouver”. Eu, pessoalmente, aproveito para estar um pouco mais de tempo a conversar com uma amiga, para ler calmamente num sítio calmo e acolhedor, para experimentar locais e actividades que me apetece experimentar, tais como uma massagem Abhyanga, por exemplo, que experimentei no outro dia e recomendo (eu experimentei aqui), para eu e o Pedro passarmos uns momentos a dois, quando podemos (também já experimentámos uma massagem que dão ao casal, ao mesmo tempo, experimentámos aqui), para ir tomar um chá a um local “de eleição”, para ir ao cinema, e muitas vezes, para fazer calmamente as compras da semana…

Num destes dias, fui ao cinema, ver o “Julie e Julia“, com a Meryl Streep. Ri-me imenso, ao mesmo tempo que me transmitiu alguma coisa que aproveito sempre para crescer. (Podem também ler aqui o que a Rute, do Publicar Para Partilhar, escreveu sobre o filme…).

E no final, depois de sair do cinema, fui presenteada com a inauguração das luzes de Natal do centro de Cascais (daquelas sincronicidades…): ia a passar e a ver a iluminação ainda não iluminada e de repente tudo se acende e oiço palmas de umas quantas pessoas concentradas na Praça 5 de Outubro, as que estavam para a inauguração! Foi uma surpresa gira…

Muitos beijinhos a todos e belos momentos de relaxamento e de alegria! Até para a semana, 24, Quarto Crescente…

x

Caderno Verde

História dos Cavalinhos

“Era uma vez dois cavalinhos que andavam a subir uma montanha, a “Montanha Mãe” (isto porque, para contar a história ele fazia com que os cavalinhos subissem pelos meus braços). Os cavalinhos eram mãe e filho. O Filho pensava que a mãe era uma montanha e ia caindo, mas não caíu, porque a mãe o agarrou pela perna.

E depois encontraram uma pirâmide (uma pirâmide de cristal que está em cima do aparador na sala) muito diferente das outras todas, que tinha lá um botão que lançava esta grande coisa (a tampa quase esférica da garrafa de cristal).

O Cavalinho Filho subiu outra vez a pirâmide e caíu e foi parar a uma grande cidade que era só mar, mas conseguiu subir para uma ilha e saltou para fora outra vez.

Tentou outra vez, voltou a cair, agora para dentro de chocolate líquido. Foi assim que descobriu, pois não sabia, que havia ali uma fábrica de chocolates e dali conseguiu saltar para uma ilha de lego, construída por mim.

Andou, andou, andou ao pé coxinho ( e ele saltava ao pé coxinho) e conseguiu encontrar um barco que o conduziu até à “estação dos barcos” (aprendeu nesta altura que uma “estação de barcos” se chama um porto). Depois andaram a viajar ainda mais, ainda mais e terminaram à noite. Foram até à margem e dormiram num hotel de cavalinhos.

2º capítulo

O Cavalinho Mãe e o Cavalinho Filho resolveram fazer um piquenique. Então saíram do hotel onde tinham dormido e foram para casa fazer os convites para os seu amigos: tinham que fazer 82 convites! Tinham quase 100 amigos, faltavam… 18 amigos (foi ele que fez a conta, de cabeça.)!

E depois dos convites foram fazer uma comida vegetariana para levar para o piquenique. O filho fez bolo de chocolate como o que eu faço com a mana Catarina e a mãe fez aquelas batatinhas com tofú tão deliciosas, como tu fazes mamã… que ingredientes é que tu pões que ficam tão deliciosas? É para dizer à mãe do cavalinho… _ “barro tudo com massa de pimentão e alho, filhinho, são os ingredientes que tornam as batatinhas e o tofú assados no forno tão deliciosos!”.

Então o piquenique foi muito divertido, foram todos para uma floresta e depois apanharam o barco para ir para casa!”

Esta foi a história contada e encenada pelo Alexandre (eu também entrava no teatro, fazia de mãe do cavalinho) e ao mesmo tempo ia escrevendo tudo o que ele dizia no computador, numa das nossas tardes em homeschooling. Depois ele veio “ler” comigo o que eu tinha escrito, para que tudo ficasse devidamente registado.

Anúncios

5 Respostas so far »

  1. 1

    Paula said,

    Esses momentos de relaxamento são tão necessários, essenciais até… eu não andei a receber massagens mas tive uma sessão de reiki (ainda não tinha experimentado esta forma de healing) e o domingo foi passado a biodançar. Pelos vistos há no Porto um professor de biodanza muito bom, chamado António Sarpe.

    Que bom que a mana Celina ajuda! Porque nós, mães (e pais!), precisamos mesmo de momentos especiais como estes para recarregar as baterias…

    Bjs

  2. 2

    Rute said,

    Olá Montanha Mãe,

    estou a ver que o homem de pijama é um excelente contador de histórias! Aproveita o cenário envolvente para ir desenrolando a história. E acaba como eu gosto, a cozinhar :))

    Obrigada por teres colocado um link para o meu blog 🙂

    Quanto às massagens…fiquei curiosa com as massagens ao casal. Por acaso…é uma grande ideia!
    Beijokas.

  3. 3

    Obrigada Paula e Rute, pelos comentários!

    Paula, tenho uma amiga que é “facilitadora” (aqui agora diz-se assim…) de biodanza, mas ainda não experimentei. Está na lista, para experimentar um dia destes. Reiki, propriamente, também não, mas já pratiquei outras formas de transmitir energia com as mãos (e sem as mãos), baseiam-se um pouco no mesmo, nos workshops com o Robiyn e também muitos exercícios de Relaxamento, Rio de Energia, Captação Energética e Libertação de Preocupações e muitos outros exercícios afins, primeiro orientados por ele, mas que depois podemos praticar em casa. Ultimamente tenho praticado também o “sungazing”, do qual já te enviei o link, sabe mesmo bem, qualquer dia coloco um post sobre isso.

    Rute, o Alexandre gosta mesmo de cozinhar… 😉 E as massagens a dois é mesmo uma grande ideia, quem ma deu foi essa minha amiga facilitadora de biodanza. Como são um bocadinho caras (todas as massagens em geral, estas como é para o casal até ficam mais em conta), só experimentámos uma vez, mas o que era mesmo bom era podermos ir regularmente…

    Muitos beijinhos!
    Isabel

  4. 4

    meninheira said,

    Isabelinha eu também é que vos desejo um Natal com muito colinho, um beijinho muito grande :*

  5. 5

    Obrigada, Meninheira! Muitos beijinhos!
    Isabel


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: