Outras formas de fazer…

Bom dia, vivam!

Foi ideia do Alexandre, fazer o puzzle ao contrário, da parte de trás, sem imagem, só com a cor. Como era de poucas peças, com mais ou menos dificuldade ia conseguindo encaixá-las todas.

“Queres ver, mãe? O mesmo puzzle só em verde?”

Gostei muito da ideia, apoiei e incentivei.

Como também já o tinha incentivado num dia em que quiz escrever o nome ao contrário (de trás para a frente).

Este tipo de exercícios, redescobri com o Robiyn, faz a nossa mente soltar-se dos formatos habituais de fazer as coisas, aos quais se encontra de certa forma limitada, e recuperar as suas muitas capacidades inatas hoje em dia “atrofiadas” pelas mais variadíssimas limitações que nos impomos.

Pelos vistos as crianças, ainda não condicionadas a escrever sempre da esquerda para a direita ou na horizontal, sugerem elas próprias, como fez o Alexandre, formas diferentes de se fazer as coisas, outras lógicas e sei lá que mais! O melhor que posso fazer é não estragar isto, o unschooling que me ajude! O que não é fácil para alguém, como eu, escolarizado até à medula…

Belas desescolarizações, beijinhos e até para a semana, dia 28, Lua Cheia!

x

Caderno Verde

Contas de Cabeça

“Mãe, qual destes é o teu número preferido? Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove ou dez?”

“Gosto do sete, Também gosto de outros… Qual é o teu preferido?”

“O meu número preferido é o dez! E o cem, o mil, o dez mil, o cem mil, o mil mil que é igual a um milhão, o dez milhões, o cem milhões e o mil milhões!”

“Iiia! E o quinhentos? Não gostavas muito do quinhentos?”

“Gosto, mas gosto mais destes…”

E a seguir, neste Sábado de manhã em cima da cama, a rebolar e à conversa, continuámos agora com as contas de cabeça:

“Mãe, perguntas-me contas? De mais!”

“Quanto é 20 mais 20?”

“40.”

“100 mais 80?”

“180.”

“15 mais 15?”

“30”

“A metade de 20?”

“10”

“A metade de 100′”

“50”

“A metade de 50?”

Silêncio… “25”

“Bem! Tu sabes mesmo fazer contas de cabeça! És um sabichão!

“Não me chames isso. Agora só contas de mais.”

“15 mais 12?”

“27.”

“35 mais 25?”

“60.”

“Como é que fizeste essa?” _ perguntou a irmã, Catarina.

“Então, 5 mais 5 são 10, não são? 30 mais 20 são 50, é só somar mais 10.”

“Ah! E então 35 mais 7?”

Silêncio… “42.”

“Como é que fizeste?”

“Então, 35 mais 5 são 40 e depois é só juntar mais 2.”

???

E ainda disse quantas eram duas vezes 1 menino, duas vezes dois meninos… até duas vezes cinco meninos… e mais umas “contas de distribuir”, tais como distribuir quatro berlindes por quatro meninos e oito peças de lego por quatro meninos.

E é só termos paciência que faz ainda umas mais difíceis, não se pode é insistir com ele, quando há uma que não sabe (passa-se à frente…                                                     😉

Ah! E tem que ser ele a pedir para lhe perguntarmos as contas, porque se lhe perguntamos sem ele pedir, também não dá!

Gosta mesmo de fazer “contas de cabeça”…                                 🙂

Anúncios

2 Respostas so far »

  1. 1

    […] 21, 2010 por isabeldematos Fazem-se contas… depois das contas de cabeça como as do Caderno Verde deste post n’A Escola É Bela, que actualmente têm sido o prato do dia, o Alexandre pega nos algarismos e representa algumas […]

  2. 2

    […] Nunca me incomodo que escreva da direita para a esquerda e não o corrijo, como já expliquei neste post. […]


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: