Viver o Verão em Ensino Doméstico, II

Vivam!

E então um segundo post na sequência do anterior:

Geografia: Alcobaça (e os seus rios “Alcoa” e Baça”), São Martinho do Porto (uma baía e grandes dunas), Nazaré, Batalha, Marinha Grande, Leiria (o Alexandre gosta de acompanhar pelo mapa os locais onde vamos).

História: a partir da visita ao Mosteiro de Alcobaça (onde estão sepultados D. Pedro e D.ª Inês _ logo se conta a história de Pedro e Inês…) e ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória (mais conhecido por “Mosteiro da Batalha”).

(A Sala dos Reis…)

(hoje em dia há sessões de música clássica tocada ao vivo neste espaço… e também se realizam “jantares medievais” acompanhados por uma peça de teatro em algumas épocas do ano)

(um dos jardins…)

(um relógio de sol…)

O refeitório:

(a frincha por onde os monges tinham que passar _ de lado         🙂            _ no fim de comer para assegurar que as barriguinhas não cresciam…)

Os túmulos de D.Pedro I e D.ª Inês de Castro:

E agora o “da Batalha” (adorámos os vitrais e os desenhos que a luz faz atravessando-os_ mais fotos do efeito dos vitrais neste outro post no Pés Na Relva, um blog colectivo de várias famílias que praticam o ensino doméstico) :

A homenagem aos soldados desconhecidos:

Um mecanismo que “fazia tocar os sinos” (o Alexandre adora mecanismos…):

E as “capelas imperfeitas”:

Ciência: “ao vivo”, no pomar da casa da nossa amiga.

“Trabalho escrito”: com a ajuda do Bloco 2, “Férias na Quinta” do caderno  que já comprara quando da ida ao Gerês.

Divertimento: praia, subida e descida das Dunas de Salir (em S. Martinho do Porto), visitar amigos na Marinha Grande e em Leiria (e brincar com eles!), subida e descida no ascensor da Nazaré para o Sitio da Nazaré.

Curiosidade gastronómica: doçaria regional de Alcobaça, e a foto da “decoração” da pastelaria “Alcoa”.

Artesanato: exposto(e à venda) na loja “Surga” em S. Martinho do Porto (gostamos muitos dos instrumentos musicais artesanais que se vendem lá a metade do preço dos que encontramos em Lisboa)

Anúncios

3 Respostas so far »

  1. 1

    Rute said,

    O relógio solar é o máximo. Quem me dera ter um no terreno da aldeia.
    Hei-de estar a técnica!
    Beijinhos.

  2. 2

    Rute said,

    estudar e não *estar* (enganei-me)

  3. 3

    Também estivémos um belo tempo à volta do relógio solar, interessou o Alexandre! 😉
    Beijinhos 🙂
    Isabel


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: