Avaliação em ED no final do 1º Ciclo

Olá a todos!

A título de informação, vou transcrever para aqui a carta que a DRELVT remeteu à directora do agrupamento escolar onde o nosso filho está inscrito, em Ensino Doméstico, sobre a avaliação a que será sujeito no final do 1º ciclo (4º ano).

Quando fui o ano passado solicitar a reinscrição em Ensino Doméstico, ela disse-me que ia solicitar esclarecimentos à DREL sobre a avaliação final, uma vez que a lei remete para as Direcções Regionais de Educação essa decisão (de salientar que há diferenças de direcção regional para direcção regional quanto às decisões tomadas). Entretanto não voltei à escola e também não tive notícias da directora. Este ano, agora a meio de Junho, voltei para solicitar a reinscrição em ED para o próximo ano e falou-me ela de novo “tenho que escrever à DREL, para saber como vai ser no final do ciclo…” e ao consultar o processo recordou-se que logo em Agosto do ano passado recebera a carta em resposta. Em Agosto, claro, é compreensível que a tenha arquivado e não se tenha lembrado. Agora em Junho, forneceu-me uma cópia e mostrou-se prestável a passar-me as fichas de avaliação que vão fazendo na escola nos finais de cada período, caso eu esteja interessada em ir lá buscá-las. O nosso filho “irá”, no próximo ano lectivo, para o 3ºano, em Ensino Doméstico.

A carta, então:

” Exmo. Sr. Director do Agrupamento de Escolas…

A avaliação dos alunos do 1º Ciclo, que se encontram na modalidade de Ensino Doméstico, processa-se do seguinte modo:

1) Deve ser constituído um Dossier do Aluno, do qual devem constar os trabalhos que o mesmo irá realizar com a pessoa responsável pelo seu percurso escolar, tendo por referência quer o Currículo Nacional do Ensino Básico-Competências, quer o Programa do 1º Ciclo do Ensino Básico;

2) No último período do 4º ano do 1º Ciclo, deve o encarregado de educação solicitar a avaliação final de ciclo ao agrupamento de escolas, uma vez que a avaliação dos alunos do Ensino Doméstico é realizada pelas escolas onde aqueles se encontram matriculados, a par dos alunos que as frequentam;

3) As provas escritas serão analisadas pelo Conselho de Docentes do estabelecimento de ensino onde o aluno presta provas e se encontra matriculado;

4) A decisão final da progressão ao 2º Ciclo ou retenção no 1º Ciclo, deve ser tomada depois da análise referida no ponto anterior ter sido equacionada com a análise do Dossier do Aluno;

5) Em qualquer das situações em 3) e 4) deve estar presente e ser ouvido, o responsável pelo percurso pedagógico do aluno em questão.

Com os melhores cumprimentos, …  “

Um abraço a todos, desejando ter sido de alguma utilidade.

Isabel

Anúncios

9 Respostas so far »

  1. 1

    martaboldt said,

    Pois, vocês têm mais “margem de manobra”. Nós vamos todos os finais de periodo à escola fazer as avaliações. Tem corrido bem e para já em equipa que ganha não se mexe!
    Bjinho

  2. 2

    valedegil said,

    Obrigada, Isabel. A DREN não é tão clara nas orientações escritas que enviou às escolas (e de que eu recebi uma cópia): apenas diz que a avaliação dos alunos em ensino doméstico será feita no final de cada ciclo, de forma presencial, por jurí a constituir pela escola (ou agrupamento, já não me lembro bem). A escola decidiu fazer-lhe uma prova a cada uma das disciplinas (Português, Matemática e Estudo do Meio) e partiu do princípio que, tal como os outros alunos, ela deveria fazer as provas de aferição, embora estas não contem para a avaliação dos alunos, nem para a decisão de progressão ou não de ciclo. Nós fizémos questão de explicar que para nós, não é claro que os alunos em ED tenham que fazer as provas de aferição e que o que nos parece é que não têm que as fazer, mas não nos opusémos a isso e hoje (a M. fez hoje a prova global de português) acho que foi uma boa opção. A nossa experiência foi que a M. não tem qualquer dificuldade com os conteúdos das fichas e provas, mas no início (quando começou o “treino” para as provas de aferição na escola), tinha problemas com o tempo: era muito cuidadosa e fazia tudo geralmente bastante bem, mas mais lentamente do que os colegas, especialmente no português (ela sempre gostou mais de matemática…). Entre Janeiro e Maio melhorou bastante em termos de ritmo, mas mesmo assim, na prova de aferição de português deixou uma série de páginas em branco, pois não teve tempo para responder a tudo. Mas como o que fez, fez bem,conseguiu ter positiva (um “C”). A de matemática correu-lhe muito melhor e teve um “B” (Bom).
    Como disse lá em cima, a M. fez hoje a prova global de português, e desta vez conseguiu fazer tudo dentro do tempo, sem problemas, e diz que estava um bocadinho nervosa no início, mas depois correu-lhe muito bem. Amanhã faz Matemática e no dia seguinte Estudo do Meio.
    O meu conselho (apesar de não o teres pedido !) é que vás buscar as tais fichas à escola, expliques ao filhote que um dia vai ter que fazer umas parecidas, lhe mostres que não são nada de transcendente mas que, para serem feitas dentro de um certo espaço de tempo, é preciso um certo “treino” (eu usei a metáfora dos atletas com a M., e acho que resulta muito bem) e que por isso, de vez em quando, há que fazer algumas, que podem ser encaradas como um passatempo, ou um desafio.
    Beijinhos!

  3. 3

    Muito obrigada Marta e Vale de gil, pelos vossos comentários e testemunhos.

    Vale de Gil, parabéns à M. e a toda a família! Aí vem uma nova etapa… Muito obrigada, mesmo pelo que contaste tão detalhadamente e pelo conselho. Eu fiquei de ir buscar os testes, sim, no início ainda balancei um pouco, mas caso não resolvermos transferi-lo para a Clonlara, por exemplo, ele vai mesmo fazer os testes e o melhor é ir-se habituando, claro. Uma amiga minha também me sugeriu o mesmo, encarar como algo que ele goste, um jogo, é o que me parece melhor adaptar-se-lhe (já que ele gosta de trabalhar com os cd’s da Escola Virtual e chama o Jogo das Aventuras 1 ao do 1º ano e o Jogo das Aventuras 2 ao do 2º ano e por aí fora. Vou ter que ter um pouco de criatividade para transformar o acto de realizar as fichas num jogo!!! Essa minha amiga até foi mais longe com a comparação, lembrou-me do que se passa no filme “A Vida É Bela” do Roberto Benini… afinal aqui o nome da Escola É Bela foi adoptado também um pouco pelo paralelismo com a Vida É Bela! 😉 Se aquele pai tranformou num jogo aqueles trágicos acontecimentos para que o filho não guardasse deles uma memória destrutiva isto das pressões que os testes poderão trazer é decerto muito mais fácil 🙂
    Com tranquilidade, isto faz-se ! 🙂 Sinto sempre vontade de o poupar ao nervosismo que normalmente temos antes de prestar provas, porque não vejo necessidade que assim seja, como sabes, isto da não avaliação é mesmo um dos pilares do unschooling e daí as minhas inseguranças, às vezes. Depois volto à tranquilidade que nos traz a noção de que fazemos o melhor que sabemos…

    Muitos beijinhos
    Isabel

  4. 4

    martaboldt said,

    Olá Isabel !
    Se quiseres posso, a seu tempo, fazer o scan das fichas do Tomás para ajudar ao treino, uma vez que frequentam o mesmo ano.
    Li no teu comentario anterior e fiz logo uma pesquisa! Pareceu me um bom projecto mas nao sendo em Portugal, pelo que percebi o mais proximo seria em Espanha, qual a vossa ideia?
    Bjinho e obr!

  5. 5

    Sim, quero! Podes enviar-me?
    Entretanto enviei-te um e-mail sobre a Clonlara…
    Beijinhos, Marta, obrigada!
    Isabel

  6. 6

    meninheira said,

    Que boa resposta, que sorte tendes de viver num país onde se respectan as libertades educativas. Em Espanha, a carta seria pra dizer que ou escolarizas ou podem-te retirar aos filhos.

    Viva Portugal! 🙂

    Um beijinho meninas :*

  7. 7

    Ah, ah, Meni! Nós aqui continuamos a dizer mal de Portugal! 😉
    Agora a sério 🙂 já há uns tempos que me dedico a sentir-me grata pelo que vamos tendo e fazendo…

    Beijinhos! Até breve! 😀
    Isabel

  8. 8

    meninheira said,

    Isabelinha, de certo seguro que há coisas nas que melhorar mas eu acho que teem que estar muito orgulhosas do seu país, um país que botou ao seu ditador sem mortos um 25 de avril, apoiado pelas súas forças militares, só isso ja disse muito de um país e de como percebe os seus dereitos e ao seu propio povo.

    Olha as diferenzas entre o teu escrito e o que esta mae espanhola homeschooler escreveu hoje: http://aleenred.blogspot.com/2011/06/angustia-e-impotencia.html Assim é que funciona em Espanha, com a policia chamando à túa porta, as ameaças de te retirar aos teus filhos,… esta é a nossa democracia 😦

  9. 9

    […] de período que as turmas do 3º ano tinham realizado em Dezembro. Foi a 1ª vez que usei desta disponibilidade que a diretora do agrupamento nos proporcionou (facilitou)_ em Janeiro fui lá à escola buscar os testes, depois da Páscoa ela já mos enviou diretamente […]


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: