Outros povos, outros hábitos…

Boa tarde a todos!

Mais um post dedicado ao Caderno Verde.

Um belo fim-de-semana! Beijinhos

Isabel

x

Caderno Verde

Outros povos, outros hábitos…

“Mãe! Há algum país onde as pessoas escrevam como eu estou a escrever agora _ e levanta um pé que segurava numa caneta_ , assim, com o pé, em vez de ser como no nosso país que escrevemos com a mão?”

“Bem, filho, não conheço… há pessoas que escrevem com o pé, porque tiveram um acidente ou uma doença e ficaram sem poder escrever com as mãos, ou já nasceram assim…”

“Sim, mas não é isso que eu estou a dizer. É que aprendi que nem todos os países fazem as coisas da mesma maneira. Por exemplo, nós comemos com os talheres e há países onde se come com uns pauzinhos. E eu queria saber se há algum país onde em vez de se escrever com a mão tenham o hábito de escrever com o pé… Vamos procurar na internet!”

4 Respostas so far »

  1. 1

    Lina said,

    Olá, Isabel! Agora também fiquei curiosa.Há algum povo que escreva com o pé?Tenho reparado que o teu filho interessa-se muito por outras culturas, acho isso importante na educação das crianças, mais um ponto a favor da educação doméstica. Muita gente deve pensar que as crianças que estão a ser educadas desse modo se isolam, mas o teu filho demonstra exactamente o contrário…Este interesse além fronteiras prova exactamente isso! Apesar da minha filha frequentar a escola pública, grande parte da educação sei que parte de mim e do meu marido, aliás o professor dela assim incentiva, porque é impossível a escola focar tudo.Infelizmente ainda há crianças que só podem contar com o que vem da escola, vejo muitos pais que não conversam, não brincam com os filhos, quanto mais ensinar. É claro que é preciso abdicarmos de algumas futilidades, mas são mesmo isso, futilidades. Ver um filho crescer é o mais importante de tudo para mim e dedico grande parte do meu tempo a ela e acho maravilhoso. E sei que concordas comigo inteiramente, não é? Bem, agora vou me dedicar às ressonâncias, já respondo ao teu mail!
    Beijinhos verdes

  2. 2

    Rute said,

    É sempre de aproveitar os momentos de curiosidade infantil (e não só infantil, pois os adultos também devem dar-se a essas curiosidades de vez em quando):

    Diz-lhe que há uma outra maneira de escrever, não com o pé, mas no sentido inverso. Enquanto que nós escrevemos da esquerda para a direita, a lingua árabe é escrita da direita para a esquerda.

    Mais ainda, existe o japonês antigo, que é escrito na vertical. Encontrei um link aqui que explica como podes escrever em word: Lingua Japonesa.com.br.
    Beijinhos domingueiros a toda a familia.
    Rute
    p.s.-amanhã é dia 7, dia de Teia Ambiental, eu postarei à meia-noite e um, de hoje para amanhã. Se quiseres alinhar com os ecologistas, deixo o convite🙂

  3. 3

    Lina! Obrigada por me escreveres!!! 🙂

    Claro que concordo contigo inteiramente quanto ao acompanharmos o crescimento dos nossos filhos, os apoiarmos, brincarmos com eles…

    A minha abordagem quanto ao ensino doméstico, não é ensinar-lhes coisas, foi uma forma absolutamente legal no nosso país que adoptámos porque é, do que existe cá em Portugal, o que melhor nos serve, pelo menos neste 1º ciclo, a preservarmos a curiosidade intrínseca a todas as crianças, a forma única que cada um tem de querer perceber e interrelacionar-se com o mundo à sua volta (pessoas, coisas, animais, plantas e as formas de fazermos as coisas, hábitos, questionar esses hábitos, etc.). Em vez de lhe dizermos o que fazer, queremos deixá-lo a que, por si próprio, com todos os apoios e recursos que lhe possamos facilitar, descubra como fazer o que que quer a cada momento fazer, que perceba os valores que nos movem e os que movem outras pessoas (e outros povos!!! 😉 ) para que possa perceber quais os que fazem sentido para ele e quais os que não fazem.

    Por exemplo, o nosso filho vê televisão, vê pouca publicidade, mas às vezes lá apanha alguma a passar, e eu costumo contar isto, porque para mim é significativo do que ando para aqui a dizer, ele volta e meia diz: “porque é que nas notícias e nos anúncios eles às vezes dizem mentiras?”. Ou seja, ele está consciente de que nem tudo o que vê e ouve na televisão é mesmo assim e vai conseguindo filtrar e aperceber-se do que faz sentido e do que não faz. Isto por várias razões (ele já “detectou várias mentiras”), mas a primeira foi porque um dia ouviu dizer num anúncio que o leite faz muito bem à saúde e que “faz parte de nós” e ele disse logo que isso não era inteiramente verdade, porque a ele o leite faz-lhe muito mal, se o ingerir asfixia e morre, então como é que podem dizer aquilo na televisão?

    Bem, o interesse dele por outros povos, parte é mesmo dele, pois este pequeno sempre teve interesse por outras culturas e até penso que isso se liga ao seu interesse enorme pelos meios de transporte e pelas viagens. Outros terão outros interesses fortes.

    E quanto a haver mesmo algum povo que escreva com o pé: do que conseguimos apurar, não encontrámos nenhuma referência a que exista algum. Por favor, se alguém encontrar diga-nos, está bem?
    Encontrámos algumas referências a que várias pessoas escrevem deliberadamente com os pés para treinar outras partes do seu cérebro, mesmo podendo escrever com as mãos, mas não é isso que o interessava no momento.

    Pois, ele já sabe dessas outras culturas que escrevem da direita para a esquerda, Rute, e na vertical. Lembras-te daqueles meus posts sobre as representações/abstracções/símbolos, onde um era sobre a escrita (os outros eram sobre os números e sobre o tempo…)? Pois foi sempre uma questão que enfatizámos muito com ele, esta de que os conceitos, as medições, os símbolos para comunicarmos, etc., são estabelecidos por alguns homens, outros os estabelecem de outras formas e podemos alterá-los e sair fora desse contexto sempre que o quisermos. Também o deixamos escrever, desde pequeno, como ele quer, a toda a volta da folha, de trás para a frente, com a mão esquerda, com a mão direita (mas nunca me tinha lembrado dos pés!!! 😉 Lembrou-se ele! ) Agradeço-te muito o link para o site Japonês. Vai ficar aqui na nossa pasta de recursos para experimentarmos entretanto.

    Muitos beijinhos para vocês, Lina e Rute, e muito obrigada!!!

    Isabel

  4. 4

    Rute, é verdade! Quanto ao convite para participar na teia ambiental, já mo tinhas feito antes e eu disse que enquanto decorresse a colectiva Fases da Vida não ia dar para participar em mais nenhuma colectiva, mas agora que a outra acabou já comecei a escrever o meu primeiro artigo para teia, só que ainda vai a meio, não me parece que consiga aprontá-lo até amanhã, se calhar só para o próximo mês inicie as minhas participações. Vamos ver, grata por me andares sempre a convidar para estas coisas importantes!

    Muitos beijinhos
    Isabel


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: