Reintegração_ 5ª fase da BCAP

Vivam, bom dia!

Hoje participo na 5ª e última fase da Coletiva Amor Aos Pedaços proposta pelas 3 Rs (Rute, Rosélia e Rosa Luma_ vejam aqui a listagem de todas as participações).

E para não furar as expectativas da Luma

😀

vou alterar o nome desta fase também e em vez de lhe chamar Reintegração, vou chamar-lhe

O Amor Está em Toda a Parte

Pois que considero que não nos reintegramos por nunca termos estado desintegrados, apenas na ilusão de o estarmos e assim que assumimos que somos Um Ser inteiro, único, perfeito e harmónica e eternamente integrado (ou que significado terá então o que se diz muitas vezes hoje em dia que “Somos Todos Um”?), toda a ilusão se esfuma e sabemos Quem Somos (Um, efetivamente a unicidade e a eternidade_ não somos imperfeitos em busca da perfeição, não involuímos e evoluímos, não nos desintegramos e voltamos a integrar, não somos um pedaço, não somos uma parte do todo, não somos uma metade eternamente à procura da nossa outra metade, da nossa alma gémea. Pressupostos que têm andado a ajudar a manter-nos afastados de assumir quem verdadeiramente somos. Digamos que às vezes, temos as “baterias em baixo” (ou deixamo-las ir abaixo) e até serem recarregadas ou trocarmos de bateria o sistema parece apresentar falhas) e que Somos e Irradiamos Amor.

(Grata ao Robiyn_ a quem conheço “ao vivo” e com quem convivi (e convivo ainda) um já considerável número de dias_, a David Icke, a Ikeala Lew Len, a Vladimir Megre e Anastásia, por todo o seu trabalho, dedicação e amor, por me terem ajudado a ver, a experimentar, a praticar, a sentir e a saber o que acabei de resumir muito resumido, sintetizar, em cima).

Sem mais delongas, deixo-vos algumas fotos (das mais recentes) de momentos onde senti, expressei ou senti expresso o Amor (momentos onde deixei que a ilusão se esfumasse, onde não me agarrei com unhas e dentes à ilusão e que têm sido cada vez mais frequentes).

Grata ao meu Marido Pedro, por tudo, adoro estes momentos em que andamos de mão dada, simplesmente a desfrutar da Natureza, da Beleza, do Amor. Amo-o.

x

Grata aos meus Filhos que a toda a hora me manifestam Amor. Amo-os (aqui o meu post “O Amor É…, para saberem do que trata a foto).

x

Grata à Rua onde costumo estacionar o Carro (e ao Carro, por me transportar todos os dias) para depois descer andando um pouco a pé até ao meu Local de Trabalho. Amo o Túnel belo que estas Árvores formam (grata a todas elas), irradiando Beleza e Amor, proporcionando Sombra em Tempo Quente e despindo-se em Tempo Frio.

x

Grata ao nosso Gato que simplesmente está connosco e nos anima com a sua animação. Amo-o.

x

Grata ao Sol que me alimenta, ao Mar onde me banho, à Areia que me aquece e nos serve de material de construção dos nossos Castelos de Sonho. Amo-os.

x

Grata à Neblina Matinal que nos dá esta imagem deslumbrante desde a nossa Varanda (e grata à nossa Varanda e à nossa Casa e à Casa que o nosso Planeta É). Amo-as.

x

Grata à Chávena linda e amorosa de onde saboreio o meu chá e a Quem a fez (e grata a todas as Plantas e Frutas com que são feitos os Chás que bebo, tranquilamente, saboreando cada golo) que me foi oferecida pelos meus queridos Filhos neste último Dia da Mãe, pois que sabem que ia ter muita utilidade e proporcionar-me muitos momentos zen. Amo-a.

x

Amo os momentos em estivémos a pintar as paredes do quarto que vai ter nova utilização (o que nos divertimos a planear e depois a executar), amo os momentos em que cuidamos uns dos outros quando cada um está com as “baterias em baixo”, amo os momentos em que somos anfitriões e os momentos em que somos visitas, têm sido frequentes nestes últimos três meses.

Amo a nossa mais recente vivência em unschooling. Grata a John Holt pelo seu trabalho inspirador.

Grata a todos os Momentos Mágicos das nossas Vidas, que são uma Vida só… Amo-os.

x

Grata às Organizadoras desta Coletiva. Grata a Todos Vós. Amo-vos.

x

Poderia estar mais um dia e outro ainda enumerando uma lista maior ainda… o Amor Está em Todo o Tempo e Todo o Lugar…

17 Respostas so far »

  1. 1

    Uma excelente participação muito bem ilustrada. Parabéns por ela, pela felicidade que irradia, e sobretudo parabéns pela capacidade de olhar à sua volta e agradecer os dons que tem. Muito raro isso hoje em dia.
    Um abraço e bom domingo

  2. 2

    Enfim, acabou.
    Acabou, mas como vivemos em círculos e espirais, encantamentos, desencantamentos, esperanças, questionamentos, se integram e reintegram em nosso cotidiano.
    Vivemos. E sobrevivemos a tudo.
    Obrigado pela participação. E sigamos em Conversas Cartomânticas.

  3. 3

    suelen muniz said,

    Oi Isabel,
    Linda participação,cheia de vida,luz,gratidão e muito amor.
    Lendo sua postagem percebi mais ainda o quanto sou grata a natureza e as suas inúmeras formas de vida,que tanto me encantam.
    Uma ótima semana,abraço,=)

  4. 4

    Muito bacana suas fotos e sua participação na blogagem. Tb participo.
    Big Beijos

  5. 5

    Muito bem, mas não vou brigar com você O:) ao contrário, também acho que o amor está por todo o canto, basta saber reconhecê-lo. Mas reintegrar é juntar todo esse amor que está por todo o canto! 3:) e não que esteja desintegrado.
    Adorei as fotos e o modo como dispôs todo o seu “amor em pedaços”.
    Eu gosto demais do seu jeito contestador e na próxima blogagem você pode participar apimentando as escolhas. A Rute é uma pessoa bastante aberta as conversações e disso me aproveitei um bocado, pois um dos pontos altos da blogagem foi nos bastidores quando discutíamos as escolhas dos temas das fases. Não queríamos algo evidente, porque as pessoas também precisam refletir, como não queríamos um complicador para a maioria.
    Obrigada por mais essa convivência! Beijus,

  6. 6

    Somos Amor e irradiamos amor!
    Verdade. O amor está em toda parte. E a gratidão nos faz sentir mais amor, doar mais amor.
    um abraço

  7. 7

    ruteppp said,

    Concordo em absoluto: o amor está mesmo em todo o lado e temos de ser gratos por tudo o que acontece na nossa vida. Desde a caneca aos corações até às sombras projectadas na areia. Que é a mesma coisa que dizer que sou grata a tudo o que é visivel e invisivel.
    Quando algo não está a nosso gosto só temos de modificar. Por isso fazes muito bem em trocar o titulo. O problema é quando todos discordam e ninguém se entende. Mas felizmente nos bastidores, como falou a Luma, fomos harmonizando e aprendendo com a interação.
    Beijinhos e até 5ªfeira😉
    Rute

  8. 8

    Adao Braga said,

    O maior de todos: é mesmo a amor, e nisto estamos acertados!

  9. 9

    Queridas “visitas” que vieram comentar (Elvira, Emanuel, Suelen, Lulu, Luma, Lu, Rute e Adão), muito obrigada pelas vossas palavras e um grande abraço para todos.

    Rute e Luma, meu lema não é discordar, contestar (ou então nada do que tenho dito faria sentido); Luma se você for ler minhas participações na coletiva anterior, “Fases da Vida”, verá que nunca alterei/contestei nada; e nem mesmo aqui, nesta BCAP o fiz, já disse noutros posts que o que tenho feito nesta coletiva é explicar o contexto em que vejo, sinto e experimento as coisas (da Vida, do Amor), que é de uma forma diferente dos conceitos mais comuns. E para isso muitas vezes tenho que usar outras palavras, pois as palavras estão ligadas a conceitos e para não sugerir tais conceitos tenho mesmo que usar outras palavras.

    Por exemplo, Luma, quando você diz “Mas reintegrar é juntar todo esse amor que está por todo o canto” e “adorei as fotos e o modo como dispôs todo o seu amor em pedaços” por detrás está o conceito de que o amor se divide em bocadinhos e vamos, podemos, reunir alguns e fazer algo maior. O que é completamente diferente do que tenho vindo a dizer como vejo e sinto o Amor, ele nunca se divide (quando muito se multiplica, mas nem isso), em todo o canto ele está inteiro e uno, completo, então não podemos juntar pedaços nem vivenciar um só dos seus pedaços de cada vez, apenas aceder a essa energia infinita, sintonizar com ela, que está presente a toda a hora e em todo o lugar, em qualquer pessoa, em qualquer objeto, em qualquer situação. É só descortiná-la (esta é uma palavra boa para exemplificar, retirar, afastar, esfumar, dissolver, as cortinas, os óculos, os filtros, as nuvens, os medos que nos fazem ver e experienciar uma ilusão e não a realidade, absolutamente harmónica).

    Beijinhos para todos
    Isabel

  10. 10

    E para ajudar à festa eu percebi ainda que cada um de nós não é quem pensa que é, um índivíduo separado de tudo o mais, uma parte do todo, uma gota do oceano e sim, o próprio Todo em ação, que se vai focalizando, experimentando, vivenciando, manifestando ora de uma forma ora de outra e de todas ao mesmo tempo… o que significa que o acedermos ao Amor inteiro e uno que somos nós próprios é apenas acedermos a nós próprios, soltarmo-nos do que nos estamos a focalizar ou continuarmos focalizados sem perdermos a noção de quem ou do que realmente somos.

  11. 11

    È esse olhar a volta e esse perceber da importância de estarmos integrados que nos permitem compreender e viver o amor que encontra-se em toda parte.
    Parabéns pela participação e grata pela sua visita.
    bjs

  12. 12

    Simplesmente MARAVILHOSO post, com tanto amor que me emociona!!!

    Sorrisos aqui! :))))

    Muitos beijinhos
    Jorge Vicente

  13. 13

    “cada um de nós não é quem pensa que é”. Na verdade, somos 3 pessoas em uma só, basicamente. Sou o que sou e disso posso ter consciência ou não. Sou a projeção do outro ou aquilo que quero mostrar de mim para as pessoas e sou o que os outros pensam que sou. Por aí você vê que dependendo do ângulo, somos diferentes e assim são todas as coisas. Não adianta eu dizer que o amor é assim ou assim e querer provar que o meu amor é igual ao seu, pois não é. Cada coisa amamos em uma medida, nem sempre inteira. Eu amo mais ou menos também e nesse mais ou menos, se não tiver incentivo, posso desamar. Mas isso, estou dizendo do amor externo, porque o amor que existe em mim, será sempre igual, mesmo que em alguns dias eu me desame um cadinho🙂
    A Rute está preparando surpresa, aguarde!! Beijus,

  14. 14

    Bel Rech said,

    Linda sua declaração de amor por todas as pessoas e tudo aquilo que faz parte de nossa vida, que nos mantém aqui.Dentro de mim, por mais que o amor esteja presente, não sinto desta forma tão inteira, tem sentimentos que me provocam com certas atitudes de pessoas que não consigo amá-las por inteiro, tenho minas restrições, embora sabendo que deveríamos dar sem receber nada em troca.Mas vou me reciclando aos poucos.
    Paz e bem

  15. 15

    Você re-interligou todas as ações diárias com amor. Alimentou com o seu amor.

    Beijos,

    P.s: Como estou logada no WordPress, aparece o meu blog de cinema, mas para a Blogagem Coletiva eu participo com o meu pessoal, esse: http://cadeiranteemprimeirasviagens.wordpress.com/

    Beijos,

  16. 17

    […] um de Fevereiro do ano passado, “O Amor É…” e um de Julho do ano passado “O Amor Está em todo o Tempo e em todo o Lugar” Abraços para todos quantos nos visitam “caladinhos” ou interagindo de alguma forma e […]


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: