Projecto

Sobre este projecto:  

  A Escola É Bela é um blogue semanal. Sai às Luas Novas, Quartos Crescentes, Luas Cheias e Quartos Minguantes (ver nota no primeiro artigo publicado a 14 de Outubro de 2008, Lua Cheia).
 
  A Escola É Bela é sobre as crianças de todas as idades (dos 0 aos 100 e tal anos), é sobre formas de       escolaridade “alternativas” (sobretudo o chamado   “homeschooling” ou “ensino doméstico”, porque somos   naturalmente autodidactas quando queremos saber sobre o que nos interessa), é sobre o que cada um gosta realmente de fazer, é sobre os talentos individuais e alguns temas relacionados com tudo isto.
 
  Queremos partilhar as nossas experiências como família que somos, o nosso crescimento, o que fomos sentindo e percebendo, de uma forma construtiva.
 
  Queremos ajudar a divulgar assuntos harmónicos, naturais, construtivos, inspirados, entusiastas, criativos, éticos, respeitando a Humanidade, Todos os Seres, o Planeta, Todos, Tudo.
 
  Este blogue deseja ser o mais interactivo possível e divulgar sempre as fontes onde fomos (nós e quem interagir) beber a informação. Deseja ser um blogue de serviço, onde toda a informação disponível possa servir um grande número de pessoas e resultar em benefício de todos.
 
  A ideia de escrever um blogue foi-me sugerida pelo Pedro, meu marido, porque sabe que eu gosto muito de escrever e porque queríamos partilhar as nossas vivências sobretudo na área da educação, que vivenciamos através dos nossos filhos, principalmente agora do nosso pequeno nascido em 2003.
 
  No início pensei em abordar vários temas regularmente, porque são vários os temas que nos interessam (partos naturais _ ou humanizados, como também são designados_, amamentação prolongada, formas de vida ditas “alternativas” e mais naturais e harmónicas, vegetarianismo, ambiente…). Também porque estão todos ligados entre si. No entanto, e também por sugestão do Pedro, optámos por incidir mais sobre a educação e as formas de escolaridade “alternativas” (principalmente o “homeschooling”, ou “ensino doméstico”, por ser o que mais nos atrai, actualmente).
 
  Esta decisão para este blogue, embora fale várias vezes sobre os outros temas afins, por estar tudo ligado, como já disse, e porque têm a ver connosco e com a forma como fomos “chegando” ao “homeschooling”, foi tomada com base em:
 
– ser o tema que actualmente mais pesquisamos e vamos tomando decisões, por termos um filho agora com 5 anos, em vias de “entrar para a escola primária”;
 
– ser, dos temas que nos interessam, o que menos é divulgado em Portugal.
 
  Sobre o vegetarianismo, por exemplo, já muita gente fala, já circulam revistas e existe um site espectacular do Centro Vegetariano que faz um óptimo trabalho.
 
  Sobre o ambiente, infelizmente muito pela “preocupação com o aquecimento global”, ou seja, movidos pelo medo em vez de pelo respeito, amor, ética, etc., já é “prato do dia” a divulgação “de massas”, acções desenvolvidas, pessoas dedicadas e empenhadas em que as coisas mudem e melhorem nesse sentido.
 
  Mesmo sobre os partos humanizados, incluindo o parto na água, já houve o I  Congresso Internacional  em Almada organizado pela Humpar (e até a revista Pais & Filhos, por exemplo, já publicou vários artigos).
 
  Também publicou artigos sobre escolas “alternativas”, algumas das quais subsistem através da lei que rege  o ensino doméstico em Portugal, ou seja, os “alunos” de algumas dessas escolas têm que ser matriculados na escola oficial da sua área de residência sob o regime do ensino doméstico e depois frequentam essas escolas cujos diferentes “métodos de ensino” não são “reconhecidos” pelo Ministério da Educação.
 
Mas não é ainda do conhecimento geral nem sequer a possibilidade do ensino doméstico em Portugal, nem o que isso significa ou possa vir a ser pensado pelos pais como uma possibilidade efectiva no desenvolvimento da educação dos seus filhos. Daí a nossa vontade de ajudar nesta divulgação.
 
  A primeira vez que ouvi falar da possibilidade de usufruirmos da lei que rege o ensino doméstico em Portugal, foi casualmente numa conversa em que uma amiga contava que conhecia um casal que vivia num navio e viajava pelo Mundo e cujos filhos estudavam então “por conta própria”, com a ajuda dos pais e iam a terra realizar os exames necessários para obter as respectivas certificações escolares.
 
  Mais tarde, quando começámos a pensar que não queríamos que o nosso filho frequentasse as escolas usuais (isto porque, após frequentarmos vários workshops do Robiyn, fomos despertando para formas mais naturais, harmónicas, éticas, de vida – ver a página sobre NÓS – e de entre muitos temas que abordámos nos workshops, um dos que sempre me chamou a atenção foi sobre a Educação. Tudo o que o Robiyn fala sobre a Educação faz eco em mim – uma explicação sumária, dada por ele, sobre este assunto faz parte integrante de um seu CD, delicioso(!), intitulado “Mais Além do Bem e do Mal, a Inocência”…), fomos pesquisando e tendo conhecimento de outros métodos de ensino, outras escolas já existentes, ainda sem saber muito bem o que fazer quando chegasse a altura em que ele tivesse 6 anos…
 
  Entretanto conhecemos a Natália (através da nossa amiga Vera), que se dedica e concretiza muitos projectos relacionados com a utilização de produtos naturais, essencialmente na área da puericultura, com a prática da amamentação prolongada, com os partos em casa, com as doulas, com o “Cosleeping” sobre o qual a entrevistaram para a revista Pais & Filhos, com passeios na Natureza para pais e filhos, com o ensino doméstico. Foi a Natália que me emprestou o primeiro livro do John Holt que li e a partir daí comprei e li outros dois livros dele. O verdadeiro espírito do “homeschooling” que ele praticou e tão bem comunica fez-me todo o sentido.
 
  000000672Bem… embora estas páginas iniciais e fixas deste blogue sejam um pouco informativas, explicativas, as publicações semanais serão mais simples, pessoais, intuitivas, afectivas, de partilha de vivências, sentimentos, afectos, dúvidas, pesquisas, desenvolvimentos que queremos também que com a vossa participação e ajuda possam ser alargadas a mais pessoas, multiplicadas, em benefício de todos. Penso também em propor umas pequenas acções que, dependendo da vossa adesão, poderão resultar para todos nós em pequenos “saltos de entendimento, compreensão e divulgação” em benefício de todos.
 
  Obrigada pela vossa interacção.
 
  Isabel de Matos

21 Respostas so far »

  1. 1

    […] que, na altura, até me arrepiava. Podem vê-la, está publicada no “A Escola É Bela”, aqui.A perigosa garganta da Boca do […]

  2. 2

    Helga said,

    Olá Isabel! Parabéns pelo projecto! Meu nome é Helga e pertenço a um núcleo de mães, que se reune de 15 em 15 dias à sombra do projecto Maternar: http://www.maternar.pt. Temos largas e prazerosas conversas à cerca de tudo inerente à maternidade…porém algumas de nós tem andado à margem dos encontros, a moer no homeschooling/unschooling… não sei se o Alexandre tem encontros com outras crianças, que como ele aprendem de forma a terem um dia diferente! (não sei onde li isto, mas sei que existe um grupo que o faz, apesar de algumas serem de longe)… sendo ou não desse grupo, nossa intenção seria convidar-vos para virem a uma reunião nossa (ainda a marcar), para que possam partilhar um pouco vossas experiências e nós as nossas dúvidas! Que me dizem? Pelos vistos a reunião não será para tão breve, porém esperamos ansiosas vossa resposta!
    Respondam para meu mail:

  3. 3

    Viva, Helga!
    Grata pelo seu contacto. Vou enviar e-mail.
    Um abraço
    Isabel

  4. 4

    carla isidoro said,

    olá, tenho uma filha que vai para o 1º ano do 1º ciclo e quero para ela o ensino doméstico, o problema é que não sei qual é o fundamento que devo utilizar para que a DREN decida favoravelmente pois sei que a DREN não facilita muito a vida a quem opta por esta via. O problema é que não faço parte dos grupos que têm razões mais fortes para optarem pelo ensino doméstico. Não tenho que fazer deslocações ao estrangeiro, não tem problemas de saúde, não tem um ambiente familiar ou da comunidade com vivências específicas. Será que me podem ajudar?

  5. 5

    Carla, já enviei e-mail…
    De qualquer forma, aqui fica o link para um post da Paula do Aprender Sem Escola onde se encontra publicado um relatório actual feito pela DREC sobre o ensino doméstico na Região Centro de Portugal:

    http://aprendersemescola.blogspot.com/2010/07/relatorio-alunos-em-ensino-domestico.html

    O relatório compreende vários itens incluindo os fundamentos mais utilizados pelos pais (na região centro) ao requerer o ensino doméstico para os seus filhos.

    Um grande abraço
    Isabel

  6. 6

    inês said,

    olá Isabel

    fiquei a conhecer o Vosso Blog agora e gostaria de perguntar sff:

    – homeschooling significa que pelo menos um dos pais não está a trabalhar, certo?
    – conheço vários pais que têm a mesma vontade para a educação para os sues filhos. Será que entre todos cosneguiriamos unir esforços para fazer uma comunidade?
    – a minha filha acabou o 1º ano do 1º ciclo na escola da Harpa (ainda a funcionar em regime de ensino domestico) em SJoão dos Montes (zona de alhandra); é uma escola com a pedagogia waldorf. Esta pedagogia na minha opinião é a melhor para as crianças pois está adequada às fases de desenvolvimento e crescimento, e o método é pela arte, pela presença, pela capacitação, do interior para o exterior, na realidade, na natureza, entre muitos outros. se quiserem saber melhor e mais coisas posso dar um contacto de pessoas que sabem mais e têm experiência.

    Bem Hajam,
    Inês

  7. 7

    inês said,

    boa tarde
    quero pedir desculpa pois não me expressei bem em relação ao último ponto do comentário que fiz e corrijo agora: só posso afirmar que a pedagogia waldorf é melhor no âmbito daquilo que eu conheço, e retiro o último parágrafo pois não faz sentido porque na vossa pesquisa a pedagogia waldorf também foi considerada e a vossa escolha foi feita. novamente peço desculpa pela minha incapacidade de me expressar bem.
    obrigada
    inês

  8. 8

    Viva, Inês!
    Grata pelo comentário!
    Em relação à sua pergunta, não necessariamente: no nosso caso ambos trabalhamos, mas de uma forma que dá para conjugar entre os dois (pai e mãe) ficando sempre um de nós com o nosso filho, com algumas ajudas pelo meio (avó, irmãs, amigos…).
    E sim, nós começámos por procurar escolas que utilizassem outros métodos, outras pedagogias e chegámos à conclusão que o “unschooling” é o que mais nos diz e percebemos que a melhor forma de nos aproximarmos na prática do unschooling era adoptar o que a lei portuguesa nos oferece como ensino doméstico, pois até ao 4º ano, pelo menos, dá para irmos seguindo sem métodos pedagógicos ou currículos, seguindo os seus interesses…
    Um grande abraço
    Isabel

  9. 9

    cristiana said,

    Boa tarde!!

    Chamo-me Cristiana e sou estudante universitária e estou a realizar um trabalho sobre ensino doméstico e individual, já li várias entrevistas e blogs acerca do assunto mas estou com alguma dificuldade em encontrar legislação referente a este assunto.
    Neste sentido, será que me poderia aconselhar e ajudar (com a maior brevidade possivel?)?
    Obrigada e cumprimentos,
    Cristiana Rocha

  10. 10

    Bem vinda, Cristiana!
    Enviei-lhe e-mail
    Abraço
    Isabel

  11. 13

    Catarina Lourenço said,

    Olá Isabel,
    Muito parabéns e MUITO OBRIGADA por todas estas partilhas!!!!
    De facto, encontrei informações muito uteis e muito interessantes!!!
    Obrigada

  12. 14

    De nada!Seja sempre bem-vinda, Catarina!
    Um abraço,
    Isabel

  13. 15

    Hagar said,

    Hallo Isabel,
    Do you know where could I find information about unschooling in Portugal in English or Spanish?

  14. 18

    Raul Guerreiro said,

    Busco qualquer pista para contatar as pessoas que há muitos anos nos Açores tinham iniciado um projeto de Escola Waldorf. Alguém pode indicar-me um email?

    Grato,
    Raul

  15. 19

    Olá, seja bem-vindo, Raul.
    Lamento não poder ajudá-lo, não conheço ninguém nos Açores ligado a “escolas alternativas” ou com ideias de avançar com um projeto de Escola Waldorf.
    Um abraço e felicidades.
    Isabel

  16. 20

    Beatriz Matos Silva said,

    Boa noite!
    Descobri o vosso blog enquanto procurava informações sobre ensino doméstico/ homeschooling.
    Tenho uma filha q vai fazer agora 5 anos e gostaria de a colocar em Ensino Doméstico. Moro na Parede/ Cascais e apesar de ter sido professora do ensino secundário preferia encontrar uma professora para a minha filha, assim como mais algumas crianças q quisessem usufruir deste sistema.
    Será q algum de vocês conhece quem estivesse interessado em fazer este trabalho na zona de Oeiras/Cascais? E algum grupo de pais/ crianças q já esteja a praticar esta modalidade de ensino nesta zona?
    Outra coisa q não percebi é se o vosso filho ( q tem agora 12 anos) continua em unschooling?
    Obrigada por tudo!
    Beatriz

  17. 21

    Olá Beatriz, bem vinda. Vou enviar e-mail de resposta. Abraço.
    Isabel


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: